Arquivo da categoria: Moda flamenca

Lucía La Piñona na Feira Flamenca em abril

Mais uma vez, a Feira Flamenca Brasil surpreende os estudantes, profissionais e aficionados, trazendo ao Brasil, uma estrela da nova geração do flamenco na Espanha, Lucía Álvarez ‘La Piñona’ e o maestro ‘El Trini de La Isla’, que estarão em São Paulo nos dias 26 de abril a 01 de maio, ministrando cursos para vários níveis de conhecimento.

Em 2019, a Feira Flamenca, organizada pela Kabal Produções, comemora seus 10 anos de evento, com a 11a Edição, novamente no espaço do Estúdio Anacã, no bairro do Morumbi, com espaço para gastronomia e expositores de moda flamenca e acessórios, sapatos, castanholas, cajones, etc.

‘La Piñona’ iniciou seus estudos muito cedo, obtendo em 2011 o prestigiado prêmio ‘Desplante’ no Festival Internacional de Cante de las Minas de la Unión. Destaque no espetáculo ‘Reversível’ de Manuel Liñán, ela é hoje uma das bailaoras mais promissoras da sua geração. Concentra todas as virtuosidades: a elegância natural, movimentos refinados e poéticos, um porte elegante e um sapateado que declina nos tons mais minuciosos os ritmos, os sons e as intenções.

Lucia Pinona
Lucía la Piñona, Foto: Fabrizio Soldani

Francisco Trinidad Ángel, cantaor de flamenco, mais conhecido internacionalmente na história do cante flamenco, com o nome artístico de ‘El Trini de La Isla’, nasceu em San Fernando (Cádiz, Espanha) em 1972. Desde muito cedo, é um aficionado do flamenco, o que o levou a estudar com o maestro Manuel Soto “Sordera de Jerez”. Aos 22 anos, começa a dedicar-se profissionalmente ao cante flamenco, com recitais em diferentes festivais e peñas flamencas da região da Andalucía, sul da Espanha. Neste período, recebe o primeiro prêmio “Tacita de Plata” de Cádiz e o prêmio “Camarón de La Isla” de San Fernando.

Trabalhou com artistas de renome como Mercedes Ruíz, Andrés Peña, Rosario Toledo, Alejandro Granados, Alfonso Losa, Rafael de Carmen, Pastora Galván, etc. Atualmente segue trabalhando em diferentes tablaos, festivais e teatros para diferentes companhias de baile flamenco e importantes figuras da dança flamenca.

El Trini foto MArtin Guerrero
El Trini de La Isla. Foto: Martín Guerrero

KABAL
A Kabal Produções Artísticas foi fundada em 2009 por Ana Paula Campoy, Carolina da Mata, Deborah Nefussi e Simone Gambirazio (Simone fez parte da Kabal até 2014). Entre desejo de mudanças e sonhos para aprimorar o cenário do Flamenco no Brasil, surgiu a necessidade de produzir um encontro. O objetivo principal era promover o estudo e a documentação do Flamenco em São Paulo e unir profissionais e amadores em diversas ações.

O local escolhido para a primeira Feira Flamenca foi o Clube Paineiras do Morumby, onde foram realizadas as cinco primeiras edições. De 2014 a 2016 as edições foram relizadas no Milena Malzoni Dance Center e desde 2017 no Estudio Anacã Morumbi Town. A palavra-chave do evento foi definida como UNIÃO. A produção, em alusão ao termo Cabal (um palo matriz do Flamenco) e Kabbalah (estudo de como receber plenitude em nossas vidas), foi batizada de KABAL. As identidades visuais tanto da Kabal quanto da Feira Flamenca (a famosa mandala) ficaram a cargo do artista Sardinha 17. A identidade das edições comemorativas 10a edição e 10 anos são da artista Ana Muriel.

O compartilhamento do conhecimento e um dos objetivos mais importantes da Feira Flamenca. O Flamenco se beneficia quando o conhecimento é difundido, transferido,compartilhado e alavancado, ou seja, quando existem espaços de comunicação, encontros,aulas, que facilitem a troca de informações e experiências entre profissionais, amadores e aficionados. Através de uma interação entre os flamencos brasileiros e ibero americanos, baseada no diálogo e no debate, pode-se iniciar a construção de um pensamento que sistematize informações em busca de soluções para seus problemas, que confirme e aceite sua identidade cultural, diferenciada da espanhola. Quando um conjunto de pessoas observa a sua realidade e discute sobre ela, a arte se torna mais ampla e criativa.

Confira toda a programação e ingressos no site da Feira Flamenca.

Foto de capa: Paco Lobato

Pasarela Flamenco Ecuestre Córdoba nas Caballerizas Reales

Quase chegando a primavera,  foi realizada a segunda edição da Pasarela Flamenco Ecuestre Córdoba, nas Caballerizas Reales. Sete desfiles em um evento que apresentou uma mostra das diferentes tendências da moda flamenca para 2019.

Os primeiros desfiles da manhã foram de duas empresas cordobesas, María José Pedrosa e Flamenco Bordado. Vestidos justos e predominância de cores vermelhas, brancas e pretas foram as propostas de María José.

 

O Flamenco Bordado mostrou uma coleção com predomínio de volume em saias e cores lisas.

 


Os desfiles noturnos começaram com os espetaculares xales bordados à mão sobre seda da emblemática empresa Foronda.

Foronda CDB Foto 9-3-19 16 58 43.jpg
Mantones Foronda

Em seguida, a estilista trianera Carmen Acedo, com sua coleção “Calle Castilla”. Lunares de galleta (estampa de bolas grandes), combinados com verdes, brancos e vermelhos.  Menção especial para as mangas com voo bem amplo.

 


Alta costura flamenca é o que apresentam sempre as estilistas Ángela y Adela. Tecidos nobres e vestidos femininos e originais na sua coleção “Colibrí”. Já para quem procura cor nesta temporada, para os trajes de flamenca, estão os vestidos de Flamenca Pol Núñez. Vestidos com cortes confortáveis e combinações de lunares e estampados de inspiração oriental.

cdb pol nunes Foto 9-3-19 19 49 00
O encarregado de encerrar esta segunda edição foi o estilista cordobês Sergy Garrido, com uma proposta flamenca de inspiração nos anos 70, com lycras e maxi volumes nos babados.

Fotos de Aníbal González

O sucesso da moda flamenca em Sevilla

Mais uma vez, as 29 marcas que apostaram nesta plataforma para a moda flamenca já lançaram as bases para as tendências da temporada de flamenco que chegará em abril próximo. Mais de 10 mil amantes do traje regional mais difundido do mundo não quiseram perder a sétima edição da passarela ‘We Love Flamenco’, que deu o toque final num dia de domingo composto pelos desfiles de oito estilistas.

MERCEDES DOBENAL abriu a sessão da manhã de domingo com sua coleção ‘Contrapunto’, cheio de vanguardas que flertaram com os trajes mais clássicos e cheios de tiras bordadas, ‘madroños’ e rendas.

mercedes foto 20-1-19 12 20 54
Mercedes Dobenal

Em seguida, El MADROÑAL apresentou ‘Herencia’, sua coleção cheia de motivos tradicionais de moda flamenca e um colorido feito de babados de camadas assimétricas.

madronal Foto 20-1-19 13 15 25.jpg
El Madroñal

“Resiliencia’, da marca VENTURA foi o desfile que fechou a manhã e ganhou o aplauso de todos os presentes no Salão Real de Alfonso XIII. Os tons binomiais em preto e branco e os tons pastéis reinaram em suas criações, cheias de detalhes e acessórios metálicos.

ventura Foto 20-1-19 14 26 39.jpg
Ventura

Depois desse desfile, Javier Villa, co-diretor do GO! Eventos y Comunicación (empresa organizadora), entregou o prêmio ‘Mejor Modelo WLF 2019’, que foi para Clara Campón, de Córdoba.

Clara 2-1.jpg
Clara Campón

A sessão da tarde foi aberta pelo onubense JUAN BOLECO, com a sua nova colecção ‘Quimérica’, tão mágica como vanguardista. Crepes e tecidos plissados, em tons de amarelo, rosa e coral foram os protagonistas das propostas de Juan Boleco, onde também não faltaram os famosos ‘lunares’.

boleco-090.jpg
Juan Boleco

MÓNICA MÉNDEZ apresentou então a sua ‘Metamorfose’, vestindo as flamencas mais clássicas com pitadas de vanguarda e volumes.

Monica Foto 20-1-19 17 49 34.jpg
Mónica Méndez

 

O toque punk foi feito pelo designer de Huelva, JAVIER MOJARRO, com sua coleção ‘Rave’, para o qual ele foi inspirado pelas “ressacas, a explosão da cor, neon e techno music”. As lycras e os vinis serviram de contraste aos tecidos mais clássicos, como o popelin ou o crepe, além de estilizações futuristas e festivas.

mojarro Foto 20-1-19 18 49 55.jpg
Javier Mojarro

 

DANIEL ROBLES, o penúltimo estilista a apresentar sua coleção, bebeu da emblemática Giralda de Sevilla para criar sua coleção, composta de tecidos leves e com muita caída. Franjas, aplicações e xadrez Vichy se destacaram nas flamencas do estilista mairenero.

robles Foto 20-1-19 19 39 42.jpg
Daniel Robles

A marca ROSA PEDROCHE foi a responsável por encerrar os desfiles com sua coleção ‘Mode ON’, repleta de estampas e bolinhas mistas, além dos tecidos plissados com o veludo devoré.  O ‘pied de poule’ também apareceu entre suas criações e não deixou ninguém indiferente.

pedroche-030.jpg
Rosa Pedroche

We Love Flamenco não acaba aqui. Nos dias 25 e 26 de janeiro, ‘Viva by WLF’ será o novo encontro com a moda flamenca, onde os estilistas que estão despontando mostrarão suas novas coleções.

Patrocinadores oficiais do evento: Tío Pepe, Holea; patrocinadores: PronoKal Group, Hotel Alfonso XIII, Flamentex,Wella, Aromas, Agua de Sevilla, Paypal, Rowenta, Grupo Avisa; colaborações especiais: Blanco Azahar, Ayuntamiento de Lepe y Taberna del Abardero, e meios de comunicação oficiais: Diario de Sevilla, Wappíssima.

Múltiplos estilos na moda ‘We Love Flamenco’

Nove desfiles passaram pela passarela We Love Flamenco, neste sábado, com os diferentes estilos de seus estilistas.

Assim, desde a marca sevilhana NOTELODIGO até a mítica EL AJOLÍ, PACO PRIETO, SARA DE BENÍTEZ, CARMEN ACEDO, SANTANA DISEÑOS, LUISA PÉREZ E JOSÉ HIDALGO apresentaram suas novas coleções para a temporada 2019. ÁNGELES VERANO também foi uma das protagonistas do dia, por celebrar seu aniversário de 25 anos de carreira profissional.

‘Mirando al cielo’ de NOTELODIGO inaugurou a manhã de desfiles, enchendo a passarela de moda juvenil e trajes de flamenca “muy de feria”, como explica a estilista Pilar Gómez. Mantoncillos de sabor vintage e outros de veludo completaram com perfeição
as produções.

notelodigo Foto 19-1-19 12 21 37.jpg
NOTELODIGO

’25 primaveras’ foi a proposta de ÁNGELES VERANO, que encheu o Salón Real del Hotel Alfonso XIII de modelos que já haviam sido desfilados para a estilista gaditana ao longo de sua trajetória, como Cristina Hoyos e Noelia Margotón. Até Laura Sánchez se somou ao desfile, repleto de tecidos naturais como algodão, linho e seda.

verano.jpg
Ángeles Verano

‘La más grande’ serviu de inspiração para o estilista onubense PACO PRIETO, que apresentou sua nova coleção ‘Rocío Jurado’, repleta de tules bordados. Não faltaram os toques goyescos no desfile de Paco Prieto, que propões para esta temporada tanto os lunares como os estampados florais.

pacoprieto foto 19-1-19 14 48 00
Paco Prieto

A estilista SARA DE BENÍTEZ abriu a sessão da tarde, apresentando sua coleção ‘Sáhara’. As estilizações com reminiscências à caça abriram o desfile, para logo continuar com os trajes mais festivos e pensados para as noites de feria.

sarabenitez foto 19-1-19 16 34 38
Sara de Benítez

Às 17:30 da tarde, Huelva tomou a passarela, com a apresentação da emblemática marca EL AJOLÍ. Sua nova coleção, ‘Sueña Primaveras’ foi inspirada na feminilidade e arrancou aplausos de toda a plateia com seus modelos em seda de cortes limpos e vaporosos.

ajoli foto 19-1-19 18 05 57
El Ajolí

Até a ‘Calle Castilla’ nos transportou o desfile seguinte, da estilista CARMEN ACEDO. Desenhos com cinturas altas e de sabor antigo fizeram contraste com outros mais modernos, com adornos de veludo. O estilo patchwork também despontou entre os volantes canasteros  da estilista, que deu colocou em evidência o volume das mangas.

acedo foto 19-1-19 19 09 41
Carmen Acedo

‘Caprichosa’ foi a flamenca da marca SANTANA DISEÑOS, que trouxe cinturas baixas, cortes ajustados ao corpo  e muitas formas nas mangas. Tons frios e quentes contrastaram nos desenhos criados pelo estilista Fran Santana.

santana 1AF_8918.JPG
Santana Diseños

 

A penúltima marca da jornada de sábado foi LUISA PÉREZ com seu desfile ‘Encanto’, a nova coleção da estilista sevilhana. Ares cubanos voltaram a aparecer na passarela , que foi preenchida com tons celestes e negros, em forma de organzas e fios.

luisa foto 19-1-19 21 17 43
Luisa Pérez

JOSÉ HIDALGO foi o encarregado de fechar o penúltimo dia de desfiles com chave de ouro, com sua coleção ‘Gitanos’. O preto e o branco foram os protagonistas desta coleção, onde tão pouco faltaram os tons nude e o vermelho.

hidalgo foto 19-1-19 22 29 36
José Hidalgo

De Cuba à Italia na Passarela Flamenca

Mesmo original do sul de Espanha, o vestido de flamenco não pode negar o seu lugar na moda, além de carregar inspiração do mundo inteiro.

Havana e La Dolce Vita vestiram a passarela We Love Flamenco em um dia que começou com o lado solidário desta plataforma para a moda flamenca. O desfile beneficente da Fundação Sandra Ibarra contra o câncer deu o pontapé inicial para este terceiro dia de desfiles, sendo os modelos de pacientes do Hospital Virgen Macarena que lutam contra essa doença. Já estamos sonhando com o desfile do ano que vem, confessaram as integrantes da fundação.

ibarra foto 18-1-19 14 07 45
Sandra Ibarra

Belén López, Mariola Orellana, Paloma Lagom e Óscar Higares assistiram ao desfile na primeira fila, junto a Laura Sánchez, as coleções das seguintes marcas: Lola Azahares, Ángeles Fernández, Fabiola, Rocío Olmedo e Pablo Retamero/Juanjo Bernal.

Lola Azahares revestiu de magia a passarela no Sãlão Real do Hotel Alfonso XIII para mostrar ’Encantamiento’, suas propostas para 2019 com linhos, sedas e cetins.

azahar 1af_2786
Lola Azahares

A segunda marca da tarde a apresentar coleção foi Ángeles Fernández, que se inspirou em sua própria carreira: “Meu verdadeiro flamenco e como evoluiu”, é o que, nas palavras do designer, os amantes da moda flamenca que se encontraram em We Love Flamenco puderam ver. Destacam-se os tons empoeirados como o rosa nude e o lilás, assim como os mikados e tules, em sua coleção composta por mais de vinte propostas.

angeles fern foto 18-1-19 19 07 35
Ángeles Fernández

Já a emblemática marca Fabiola mostrou sua coleção ‘Mis sueños flamencos’ para esta temporada, dedicada à mecenas Cristina Heeren, que também não queria perder este desfile. “Sua fundação e escola ficava ao lado da minha casa e ouvia sapateados e rasgueios de guitarra flamenca todos os dias e adorava”, lembra a estilista Fabiola, que criou com tecidos, em sua maioria sedosos, essa coleção, destacando as bolinhas de veludo.

fabiola foto 18-1-19 19 58 27
Fabiola

Até Cuba foi a sevilhana Rocío Olmedo, com sua coleção ‘Son de lunares’, que encheu a passarela de cor e movimento. Tamanhos tão altos quanto baixos têm contrastado em seus diferentes desenhos. Uma surpresa foi o show deste desfile, para o qual até o diretor Javier Villa entrou na porta, acompanhado pelo corpo de modelos GO! Eventos e Comunicação.

olmedo foto 18-1-19 21 15 20
Rocío Olmedo

“A reação do público irrompendo em aplausos, não tem preço”, confessou Javier antes de voltar a levar o bastão do último desfile do dia. Pablo Retamero / Juanjo Bernal foi encarregado de dar o toque final a este terceiro dia do We Love Flamenco, com uma coleção inspirada na Dolce Vita italiana. As vespas, os óculos escuros e os lenços nos cabelos não faltaram nos looks deste par de estilistas.

Retamero Foto 18-1-19 22 27 43.jpg
Pablo Retamero / Juanjo Bernal

 

Rocío Peralta e Juan Foronda no primeiro dia da passarela WLF

A estilista Rocío Peralta inaugurou a VII edição da passarela We Love Flamenco, em Sevilla, com seu desfile ‘Génesis’, mostrando sua nova coleção, inspirada na origem da criação. Repleto de coloridos em lunares e estampados florais, os tons fluorescentes se destacam em suas criações, que trazem também os tons terra e mostarda em destaque. Colaboración: Tolentino.

rocio peralta

rocio peralta - 1af_2050

 

Já a emblemática empresa de mantones e mantillas Juan Foronda, de Sevilha, volta a enaltecer estas divinas peças, signo de identidade da moda espanhola, combinando cores atuais com o sabor vintage de seus desenhos. Mantones 100% em seda natural, assim como mantillas e véus de seda estiveram na passarela de hoje, que teve a participação Sandra Guerrero ‘La Negra’, artista e bailaora. Colaboração de Rafael Díaz, modisto (trajes de mantilla, flamenco, cóctel y novia).

Foronda.jpg

We Love Flamenco Abre a Temporada de Moda Flamenca

A sétima edição da passarela We Love Flamenco abrirá nesta semana o calendário de atividades da moda flamenca na Espanha. Este amplo e fascinante encontro com a moda do sul, acontecerá de 16 a 20 de janeiro, no Salão Real do hotel Alfonso XIII, de Sevilha, para onde convergem designers, professionais de saúde e beleza, expositores de moda e complementos, e clientes a fim de compartilhar as novidades de um dos trajes regionais mais importantes do mundo, o traje flamenco.

Os designers de moda flamenca se encontraram em setembro, para o Desfile de Apresentação de WLF. Pelo terceiro ano consecutivo, os organizadores da passarela apostam neste evento, que apresenta uma pincelada da coleção de cada designer, em forma de desfile coletivo. O evento aconteceu na Casa Salinas, na calle Mateos Gago de Sevilla, um lugar repleto de encanto y “sevillania”, rodeado de perfume de nardos que foram colocados em cada uma das cadeiras do público.

 

Na ocasião de apresentação do WLF 2019, o director artístico Javier Villa confirmou os designers que estarão apresentando suas coleções: Rocío Peralta, Ángela y Adela, Foronda, Manuela Martínez, Flamenca Pol Núñez, Eloy Enamorado, Ángeles Fernández, Fabiola, Rocío Olmedo, Pablo Retamero y Juanjo Bernal, Notelodigo, Ángeles Verano, Sara de Benítez, El Ajolí, Carmen Acedo, Santana Diseños, Luisa Pérez, José Hidalgo, Mercedes Dobenal, El Madroñal, Ventura, Juan Boleco, Mónica Méndez, Javier Mojarro, Daniel Robles, Rosa Pedroche, Lucía Herreros, Rocío Márquez, José Manuel Valencia, Solisparras Fashion, Victoria García, Alba Calerón, Johanna Ortiz, Javier León, Úrsula Sánchez, Laura de los Santos y Engalana.

Os looks, que compartilhavam como nexo em comum os lunares brancos, reinterpretados em cada vestido, adiantaram as tendências para a próxima temporada, com predominância do preto acompanhado de uma paleta de cores fortes: verdes, tons avermelhados, groselha, índigo, amarelos e azuis.

Os algodões, cambraias e viscoses se misturam com organzas, sedas e tules, enquanto que o maxivolume em saias e mangas aparecem reafirmados para aquelas flamencas mais ousadas.  Os cortes clássicos com babados de nesgas ou canasteros seguem seguem presentes, sempre valorizando a silhueta para ressaltar a feminilidade da mulher flamenca.

Para completar el look la prestigiosa firma de calzado Belle Hari propone un salón en diferentes texturas, y Blanco Azahar complementa el traje de flamenca con la  imprescindible flor en colores de lo más variado. El makeup ha corrido de la mano de Chritiane, Oggorek, Pepa Medina, José Manuel Mongago y Guada Gómez, y la peluquería de Bel&Co.

Mais informações e venda de ingressos no site oficial We Love Flamenco