Dicionário

Quem está chegando agora ou está há pouco tempo no flamenco, acaba descobrindo que além da dança e da música, existe um universo de termos e expressões totalmente novos. Pode não ser fácil, mas tudo a seu tempo! Aqui você vai encontrar a nomenclatura do flamenco, garimpada de livros, sites, conversas com professores e da minha experiência. Se você souber de algum termo que não está na lista, manda pra mim que eu acrescento aqui, ok? E assim vamos construindo o Flamenco Por Aí…

ABANICO
Leque. Em geral se refere ao leque de tamanho pequeno ou médio de até 23cm. Ver Pericón.

AROS e PENDIENTES
Argolas e brincos para compor figurino de baile flamenco.

ACENTO
Nota mais forte do compás. Com isso, se pode inclusive diferenciar os palos que tem exatamente os mesmos tempos, por exemplo, soleá e alegrías, ambos ritmos de 12 tempos, mas com acentos diferentes. Ver Compás, Palo.

AFICIONADO
Pessoa entusiasta da arte flamenca. Também se chama assim o intérprete de qualquer uma de das facetas do flamenco, que não exerce como profissional.

BAILE
Baile flamenco é a dança flamenca. O baile tradicional flamenco vai acompanhado de cante e guitarra, com um ou mais bailaores executando os movimentos segundo os códigos de cada estilo dentro do flamenco.

BATA DE COLA
Traje de mulher andaluza em determinadas festas, ou figurino usado por bailarinas dependendo do baile. Caracteriza-se por uma saia ou vestido com cauda.

BRACEOS
Movimentos do baile flamenco, executados com os braços.

CAFÉS CANTANTES
Inspirados nos cafés de variedades de Paris, eram bares onde havia recitais de música e dança flamenca, no período entre os anos 1847 e 1920. Foi uma época importante para o flamenco pela definição de alguns estilos e pela difusão fora dos limites habituais da Andaluzia. Em geral, era um salão decorado com cartazes de toradas e espelhos, com um tablado de madeira, onde acontecia a atuação flamenca.

CANTAOR(A)
Cantor(a) de cante flamenco.

CANTAR ALANTE
É cantar acompanhado pela guitarra flamenca, para escutar, sem baile.

CANTAR ATRAS
É cantar para acompanhar o baile.

CANTE JONDO
O “cante jondo” é o cante andaluz, de profundo sentimento. “Cante jondo” ou “cante hondo” são equivalentes já que o termo “jondo” é a forma andaluza da palavra “hondo”, com sua característica aspiração da letra H.

CANTE
Usado como abreviação de “cante flamenco”, denomina o conjunto de composições musicais em diferentes estilos, que surgiram entre o último terço do século XVIII e a primeira metade do século XIX pela justaposição dos modos musicais e folclóricos existentes na Andalucía.

CANTES DE IDA Y VUELTA
Expressão que define o conjunto de estilos aflamencados de clara ascendência hispanoamericana, como as Guajiras, por exemplo. Muito embora este termo já esteja em desuso atualmente.

CANTES DE LEVANTE
Estilos flamencos das províncias orientais, Almería y Murcia.

CAI
Abreviação da cidade de Cádiz, utilizada pelos locais.

CAJÓN
Caixa acústica de origem peruana, introduzida no flamenco por Paco de Lucía há 40 anos (2019), por influência do percussionista brasileiro Rubem Dantas, que trabalhava com o guitarrista na época.

CIERRE
Cadência rítmica que serve como final de um trecho de baile. O cierre é utilizado para terminar a letra do cantaor. Depois que o cantaor termina o segundo tercio da letra (já cantou todos os versos da estrofe), o bailaor termina também seus marcajes e paseíllos com este elemento similar à llamada, que é o cierre.  Os cierres podem durar entre ½ compás a 1 compás. Ver também Llamada.

COMPÁS, A
Cante ou baile que é interpretado seguindo fielmente o ritmo ou cadência do estilo correspondente, marcado habitualmente pela guitarra flamenca.

COMPÁS, EL
É a divisão regular do tempo entre diferentes acentos e pulsos. Cada compás se divide em períodos de igual duração chamados tempos. Exemplo: 1 compás de tangos tem 4 tempos.

CONTRATIEMPO
É o acento que vai na parte fraca do compás, entre dois tempos fortes.

COPLA
É cada poema do cante, geralmente de três ou quatro versos, e que serve de texto para as canções populares e para o flamenco.

CORTES DE LETRA
Os cortes de letra podem existir ou não, mas caso estejam presentes, servem para fechar ou ‘responder’ ao primeiro tercio do cante. Assim, como a llamada, os cortes são golpes que indicam uma interrupção, mas são distintos. Ver Llamada.

CUADRO FLAMENCO
É o conjunto de intérpretes de baile, cante e toque flamencos.

DUENDE
No imaginário flamenco o duende está além da técnica e da inspiração. O duende na Andaluzia é um mistério que muitos sentem e ninguém explica. Quando um artista flamenco experimenta a chegada deste misterioso encanto, se usam as expressões “tener el duende” (ter o duende) ou cantar, tocar ou bailar “con duende”.

ESCOBILLA
É uma sequencia rítmica dentro de um baile flamenco que o bailaor realiza com os pés, com o sentido de produzir frases musicais dentro do compás. É um momento de virtuosismo do bailaor e o acompanhamento pode ser com a guitarra a compás (mais simples, não muito usado hoje em dia), com falsetas de claro compás (sequencia musical com a guitarra e outros instrumentos) ou a palo seco (acompanhamento com palmas ou percussões). Pode ser utilizada para subida de ritmo, para ir de um palo mais lento para um mais rápido. Nem todo sapateado dentro do baile é uma escobilla, mas a escobilla é sempre uma sequencia de sapateado. No flamenco tradicional, não se admite o cante durante a escobilla, pois seria como ter dois protagonistas atuando ao mesmo tempo.

FALSETA
Seção da música flamenca onde o guitarrista interpreta uma composição própria ou alheia. É uma peça composta para a guitarra, interpretada entre as diferentes letras de um cante. É o momento em que o guitarrista faz o seu ‘solo’.

JALEOS / JALEAR
São as exclamações realizadas durante a interpretação de uma peça flamenca, a fim de animar o solista, seja ele cantaor, guitarrista ou bailaor. Exemplos: Olé, Eso es, Toma que toma, Échale papa, Olé tu arte, Así se baila, e por aí vai….

JUERGA FLAMENCA
Festa ou reunião de aficcionados e intérpretes em um ambiente para manifestação de cante, baile e toque de flamenco.

LATIGO/LATIGUILLO
Latigo: tradução de chicote. É uma forma de produzir um som arrastando a planta do pé no solo na ida e na volta, como uma “chicotada”.

LETRA
Cada uma das estofes que se cantam no flamenco.

LLAMADA
As llamadas, os cortes de letras, os cierres e os remates são elementos semelhantes em suas formas, são golpes que indicam uma interrupção, mas são distintos. As llamadas estão antes da letra e pedem o cante.

MARCAJE
São os movimentos sem deslocamento que marcam o compás mais básico do baile. Em geral, são movimentos que envolvem braços, torso e mãos, enquanto os pés marcam o compás sem sair do lugar.

MELISMA
Grupo de notas sucessivas cantadas sobre uma mesma sílaba, como adorno ou floreio da voz.

OLÉ
É um grito de entusiasmo diante de uma obra bem executada, de uma patada, um remate, algum momento no flamenco, seja cante, toque ou baile. É um dos jaleos mais conhecidos e utilizados. Tem sua origem nas touradas. Ver Jaleo, Patada.

ÓPERA FLAMENCA
Espetáculo flamenco de cante, baile e guitarra que proliferou de 1920 a 1936 por toda a Espanha, organizado por empresários profissionais e realizado geralmente nas Plazas de Toros ou em grandes teatros.

PALILLOS
Nome como são chamadas as castanholas na região da Andalucia. No passado, os mestres artesãos de castanholas saiam pelas ruas procurando pedaços de pau (palo) para produzir os instrumentos. Daí se originou o nome palillos.

PALMAS
É um elemento que, junto com a guitarra, é fundamental para a estética sonora do flamenco. Elas acompanham o cante e dão a base rítmica para os bailaores e músicos. Atenção que no flamenco se diz ‘tocar’ palmas para acompanhar o cante, e não ‘bater’ palmas.

PALMAS SORDAS
São as palmas de som mais grave e redondo.

PALMAS VIBRANTES
São as palmas de som aberto e agudo, vibrantes, muito usadas para acompanhar o sapateado/escobilla.

PALMERO
É a pessoa especializada em tocar palmas flamencas.

PALO
É cada uma das variedades tradicionais do cante flamenco. Também podemos chamar de ritmos.

PALO SECO, A
Se refere aos estilos flamencos que são cantados sem acompanhamento de guitarra. Cante interpretado “a capela”.

PASEO/PASEÍLLO
São movimentos da dança flamenca parecidos com os ‘marcajes’, mas que se realizam com deslocamentos. Ver Marcaje.

PEINETAS
Pentes para usar no cabelo, fabricados em vários tamanhos, modelos e materiais, para uso em cena, na dança flamenca, mas também em eventos sociais como casamentos, bodas, formaturas, etc.

PELLIZCO
Comoção que produzem alguns cantes ou bailes flamencos em quem os escuta ou assiste.

PEÑA FLAMENCA
Associação ou clube formado por aficionados da arte flamenca para a exaltação e difusão do cante, do toque e do baile flamencos. Tiveram seu auge no início dos anos 60 na região da Andalucia, estendendo-se por toda a Espanha e por outros países. Nestes locais, o flamenco é o tema principal dos encontros e dos recitais, tanto de intérpretes consagrados como de novos talentos.

PICO
É um xale em formato triangular.

PITO
Nome que recebe o estalo que se produz com os dedos.

SILENCIO
Seção do baile por Alegrías com um acompanhamento de guitarra característico e sem cante.

TOQUE
Ação de tocar a guitarra flamenca (violão flamenco).


Fontes: Breve Enciclopedia Del Flamenco – José María Esteban, Junta de Andalucía (web).

 

 

%d blogueiros gostam disto: